PAZOLIANA − CAPÍTULO 29: PERIGO A BORDO E DECISÕES

Postado por e arquivado em CANTINHO LITERÁRIO DO EITEL.

“Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos”. (Bezerra de Menezes – 1831-1900) Quando os siuza e os sedrev se viram unidos pela força de um encontro inusitado, uma nave de seus descendentes, uma pergunta se fez pertinente: será que teriam maturidade suficiente para se […]

CEASA

Postado por e arquivado em 2020, DÉCADA DE 2020, FOTOS.

O primeiro CEASA foi inaugurado em 24 de maio de 1987, na Avenida Professor Aristides Memória, Bairro Jardim Paulistano¹. Com uma área construída de 1.707 metros quadrados, o grande mercado funcionou no local até o ano de 2008, quando mudou para o seu novo endereço localizado à Avenida Maria Clara da Fonseca, Bairro Planalto, sendo […]

IPÊ-DE-JARDIM CONTORCIONISTA DO BAIRRO GUANABARA, O

Postado por e arquivado em 2020, DÉCADA DE 2020, FOTOS.

Atendendo por algumas alcunhas como Ipê-de-jardim, Ipê-amarelo-de-jardim, Ipêzinho-de-jardim, Bignônia-amarela, Sinos-amarelos, Ipê-mirim, Guarã-guarã, Carobinha e amarelinho, essa Tecoma stans demonstra, diariamente, toda a sua capacidade de contorcionismo na Avenida Angra dos Reis, poucos metros após a Praça Egídio Xavier da Rosa, no Bairro Guanabara. * Texto e foto (30/05/2020): Eitel Teixeira Dannemann. Assuntos Relacionados: BAIRRO GUANABARA […]

ARCO-ÍRIS

Postado por e arquivado em ANIMAIS DE COMPANHIA, PEIXES.

Endêmico da região do rio do Norte na Papua Ocidental, a área era anteriormente conhecida pelos administradores holandeses como o Nimboran Plain. Está localizado a cerca de 50 quilômetros a oeste do Lago Sentani. A localidade consiste de um pequeno lago redondo (Lago Nenggwambu). Aparentemente existe uma ligação subterrânea com lagos vizinhos através do substrato […]

BECO SEM NOME NA PRAÇA DO ROSÁRIO

Postado por e arquivado em 2020, DÉCADA DE 2020, FOTOS.

Quanto ao contínuo crescimento geográfico da cidade desde os primórdios, as referências apontam para o fato de que, entre as ruas principais, abertas pelo poder público ou mesmo por particulares, restavam terrenos vagos, sem proprietário aparente, os quais iam sendo, paulatinamente, ocupados e apropriados pela população. Parece, pois, que os becos, travessas ou ruelas se […]