MAGOS DO SOL

Postado por e arquivado em ARTES, GRUPOS MUSICAIS, MÚSICA.

Em 1970 eu era o vocalista da banda Os Asteróides. No ano seguinte fui para o Rio de Janeiro, retornando a Patos de Minas em 1973. De imediato fui convidado para cantar na banda Panis et Circensis dos irmãos Béu, Gerson (guitarra) e Nelson (baixo), por causa da saída do vocalista Ivan Noé Baeta. Tocavam com eles o baterista Heleno Versiani e o tecladista Soninho (Alino Dias). Nessa época o nome da banda foi mudado para Trapps. Estava começando a era da música mecânica das discotecas. Os conjuntos de baile começaram a sentir a nova tecnologia e, a partir daí, era cada vez mais difícil um grupo ser contratado para tocar, principalmente porque o custo para quem contratava era menor.

Numa conversa com o Heleno sugeri que o nome da banda fosse mudado para Magos do Sol. A sugestão, colocada em votação, foi aprovada por todos.

Mesmo com nome novo, os bailes eram cada vez mais escassos, o que gerava uma grande preocupação aos irmãos Béu, pois eram músicos profissionais e não adolescentes, como alguns de nós, que ainda dependiam dos pais. Era necessário, urgentemente, a presença de um empresário, alguém que fosse atrás dos bailes e garantisse tranqüilidade financeira para a banda. O baixista Nelson se dispôs a largar seu instrumento e ir à luta em busca de bailes. Só tinha um problema: quem ocuparia o lugar vago? Não havia baixistas disponíveis naquela época. Foi ai que sugeri o nome do Ivan Corrêa, pois eu sabia que ele tocava baixo e ainda tinha construído seu próprio instrumento. Alguém disse: “aquele menino?” Sim, respondi, vamos chamá-lo e ai vocês fazem o teste, se gostarem ele fica. Estávamos ensaiando uma música do América, She’s Gonna Let You Down. Então ficou combinado que se o Ivan desse conta de pegar e tocar a música ele estaria na banda. No dia seguinte, a música foi tocando na minha vitrolinha capeta e pronto, de primeira, o Ivan disse: “pópassar”.  Começava ai a carreira de um dos maiores músicos que já conheci.

Mais uma vez fui para o Rio de Janeiro e o Magos do Sol, pelo que fiquei sabendo de lá, também teve suas mudanças. O Gerson se casou com uma americana e foi para os Estados Unidos, enquanto o Nelson se mudou para Brasília. Não sei dizer precisamente, mas nessa época a formação era a seguinte: Heleno Versiani (bateria), Ivan Corrêa (baixo), Taquinho Noronha (vocal) e Gilberto “Pavão” Oliveira (vocal e teclado) e um novo guitarrista, que veio de Pirapora, Joãozinho Viana.

Algum tempo depois voltei a Patos de Minas. Novamente me envolvi com o Magos do Sol, que tinha a seguinte formação, se não me engano: Heleno Versiani (bateria), Joãozinho Viana (guitarra), Ivan Corrêa (baixo), meu primo Botta (sax) e eu nos vocais. Nessa época também fui “obrigado” a tocar teclados, pois não havia ninguém disponível. Tempos depois Ivan se mudou para Belo Horizonte e Waldir Carvalho, que tocou guitarra uma época, assumiu o baixo. Heleno saiu e em seu lugar ficou o Eugênio Cirino.

Essa foi a última formação oficial do Magos do Sol, que decretou o fim do grupo em 1977.

Fui de novo para o Rio de Janeiro. Tentei alguma coisa com música, mas só consegui gravar um “compacto simples” em 1980, com o músico Jorge Bomfim, éramos o Erva-Doce e com minhas duas músicas, Reino Encantado e Sonho Louco, tivemos o disco lançado pela gravadora Top Tape. Nada aconteceu e decidi abandonar de vez a “carreira musical”, embora isso não tenha significado abandonar a música.

4Atendendo a pedidos dos fãs, em 23 de janeiro de 1982 o Magos do Sol se reúne para matar a saudade e faz o primeiro show com músicas dos Beatles. Acredito que fomos uma das primeiras bandas a fazer um show completo só com músicas dos Beatles no Brasil. Promovido pela Casa de Cultura, a banda levou mais de mil pessoas ao ginásio do PTC. Músicos participantes: Taquinho Noronha (vocal), Ivan Corrêa (baixo), Joãozinho Viana (guitarra solo), Waldir Carvalho (guitarra base) e eu no vocal e teclados. Outros dois shows “Beatles Forever” foram realizados no PTC: um em 1983, que foi recorde de público na cidade até então, com mais de 3000 pessoas e outro em 1984. Ainda em 84 fizemos um show em Patrocínio, que foi o último da história da banda.

* Texto e fotos: Luiz Carlos Esteves.

* Fotos: Show Beatles Forever III, realizado no ginásio do PTC em 1983.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

captcha

Please enter the CAPTCHA text