TELEVISÃO ESTRANHA

Postado por e arquivado em CANTINHO LITERÁRIO DO EITEL.

A esposa Marieta vinha reclamando há muito tempo. Os quatro filhos viviam dizendo que todos os seus amiguinhos já tinham em suas casas. Carlota, a sogra, também já tinha uma e não se conformava que na casa da filha ainda não tinha. Até o melhor amigo implicava com o Gedeão:

– É bão demais acompanhar o futebol em cores. Pô, Gedeão, tem dó, você tem condições de comprar e não compra. Deixa de ser sovina. Tadinha da Marieta que até hoje assiste as novelas em preto e branco.

Depois de tanta insistência familiar e dos amigos, o mão de vaca do Gedeão, enfim, resolveu comprar o tal aparelho de TV em cores. Na véspera do Natal, zanzou por todas as lojas do ramo até que conseguiu encontrar uma do seu gosto e preço: uma poderosa CCE Stereo-SAP HPS-2004 de 29 polegadas. Quando ele chegou com uma caixa embrulhada em papel de presente foi um espanto, todos querendo saber o que era e para quem era. O homem nada disse e ajeitou a dita ao pé da árvore enfeitada de luzes pisca-pisca, dizendo que só amanhã ficariam sabendo.

E o amanhã chegou, e ninguém queria saber de ceia antes da caixa ser aberta. Fazendo cena, Gedeão chamou a Marieta para que ela abrisse a tal caixa. Marieta abriu com avidez e um oooohhhhhh geral tomou conta da sala. Os meninos eram os mais esfuziantes. A Carlota com cara de desdém passava a impressão do demorou, até que enfim. Marieta dava pulos de alegria incitando o marido a ligar logo o aparelho ali mesmo ao pé da árvore de Natal. Ele ligou. Quando as imagens coloridas surgiram na tela foi outro oooohhhhh geral. Mas logo veio a decepção: as imagens coloridas vinham e logo desapareciam; vinham de novo e logo desapareciam; vinham de novo e logo desapareciam; e assim ficou. A sogra não perdeu tempo:

– Só você mesmo, Gedeão, foi o último a comprar uma TV em cores em Patos de Minas e quando resolve comprar, compra uma com defeito. Ora bolas…

Enquanto os lamentos pipocavam pela casa, o cunhado Marinho resolveu verificar a tal TV. Mexe daqui, mexe dali e pimba:

– Gente, não é defeito não!

Realmente a TV não tinha defeito algum. É que o Gedeão, na ânsia angustiante de colocar em funcionamento aquela alta tecnologia, ligou a televisão na tomada das luzes do pisca-pisca da árvore de Natal.

* Texto: Eitel Teixeira Dannemann (Traquitanas Patenses).

* Foto: Pt.pngtree.com.

Compartilhe