PATOS DE MINAS EM 1980: GIGANTE ACORRENTADO − 2

Postado por e arquivado em ARTIGOS.

TEXTO: DIRCEU DEOCLECIANO PACHECO (1980)

Abordamos no artigo anterior, o grande número de órgãos de âmbito regional, aqui instalados e que nos trazem grandes vantagens.

Veremos hoje, dois aspectos, que são fundamentais para o progresso de um povo: SAÚDE E EDUCAÇÃO.

Não queremos dizer, que Patos de Minas tenha a primazia de ter solucionados todos os problemas afetos a estes dois setores, mas, somos obrigados a reconhecer, uma vez mais, que neles estamos muito bem servidos, a ponto de vê-los influir positivamente em nosso progresso e bem assim, no desenvolvimento de uma vasta região, cujo povo aqui vem, em busca de tais recursos.

Existem aqui, 05 hospitais bem instalados, alguns de alta categoria; 12 farmácias; 12 laboratórios de análise clínica e 03 laboratórios de prótese odontológica. Aproximadamente 60 médicos, atendendo nas diversas especialidades; 45 cirurgiões-dentistas, com consultórios modernamente instalados e bem equipados, em sua maioria; 15 bioquímicos e farmacêuticos, proporcionam ao povo da cidade e de quase toda a região do Alto Paranaíba e Paracatu e até mesmo de outras mais longínquas, uma assistência médica e odontológica de alta categoria, oferecendo quase tudo o que os grandes centros podem oferecer.

Ao lado do atendimento particular, a assistência dada pelo INPS, num total de 120 consultas médicas e 80 odontológicas por dia, acrescidas de 45 consultas médicas e 15 odontológicas concedidas pelo FUNRURAL e às quais se somam aproximadamente 50 consultas médicas e 20 odontológicas pelos 05 CENTROS DE SAÚDE, instalados na zona urbana, arrastam para cá, milhares e milhares de pessoas no decorrer de um ano, principalmente, levando-se em conta que as zonas de influência da Agência local do INPS e do FUNRURAL abrangem 21 e 07 municípios respectivamente. Não bastasse isso, acham-se em funcionamento na zona rural do Município, 05 Postos de Saúde.

No setor da EDUCAÇÃO, comecemos pela zona rural, onde 84 escolas municipais de 1.ª a 4.ª séries e 01 de 1.ª a 8.ª séries de 1.º grau, atendem a 3.041 alunos. Além delas, 09 escolas estaduais, de 1.º grau, servem a 754 filhos de nosso homem do campo, instaladas que estão, na zona rural.

Transportando-nos à cidade, encontraremos 19 escolas estaduais de 1.º grau e 02 de 2.º grau, que proporcionam matrícula a 12.757 alunos.

Na rede de ensino particular, contamos com uma escola de 1.º grau fora da cidade e outra na cidade, além de 07 escolas de 1.º e 2.º graus, na zona urbana, com aproximadamente 5.000 alunos matriculados.

Não poderíamos deixar de mencionar as 06 escolas que começam a preparar nossos filhos desde a mais tenra idade, em cursos maternais, jardim de infância e pré-primário.

Temos ainda, nossa única, porém valorosa, Faculdade de Filosofia Ciência e Letras, já no seu décimo ano de funcionamento, onde 708 alunos, procedentes de 17 municípios, frequentam os cursos de História, Letras, Ciências-licenciatura de 1.º grau, Biologia, Matemática e Pedagogia-Administração Escolar, estando certo para o próximo ano, o funcionamento do curso de Supervisão de 1.º e 2.º graus.

Perguntemo-nos a nós mesmos: existirão muitos municípios mineiros que possam oferecer às suas regiões de influência, o que Patos de Minas tem oferecido à sua?

Poderíamos entretanto, ter muito mais e oferecer também muito mais ainda, mas, o comodismo, a apatia e o derrotismo de grande parte de nosso povo, não nos tem permitido alçar um vôo mais alto.

Já ouvi dizer que o boi, com todo o seu tamanho, submete-se ao domínio do homem, por desconhecer sua força. Fico a pensar, se não estaremos nós, desconhecendo nossa potencialidade e entregando-nos ao desânimo.

Descruze os braços. Arregace as mangas e deixe de lado seu pessimismo. Ao invés de prejudicar com suas palavras e até mesmo com seus atos de derrotismo, faça alguma coisa, para soltar este gigante de suas correntes…

* Fonte: Texto publicado na coluna Malho e Cinzel com o título “Gigante Acorrentado (II) no n.º 04 de 30 de junho de 1980 da revista A Debulha, do arquivo de Eitel Teixeira Dannemann, doação de João Marcos Pacheco.

* Foto: Blogs.odiario.com.

Facebooktwittergoogle_plusby feather