SANEAMENTO BÁSICO, SAÚDE E OUTROS SERVIÇOS

Postado por e arquivado em BOM SUCESSO DE PATOS, DISTRITOS.

O primeiro esforço para água canalizada chegar até Bom Sucesso de Patos foi de João Porto Filho, encanando-a da fazenda de Manoel Pereira até ao povoado.

Depois, em 1962, Adélio Gomes, tendo à frente Manoel Vitalino Ribeiro (Manezinho Bombeiro), fez novo encanamento de água retirada por intermédio de carneiro instalado no Corguinho do Adão, na fazenda do Necão. Foi quando o povo, pela primeira vez, viu a água jorrar pelas torneiras. Logo a seguir construiu-se a caixa d’água no Largo da Igreja, no local onde se encontra o coreto e cada morador foi puxando a água por conta própria para sua residência. Em 1972, a Prefeitura mandou perfurar um poço artesiano, ligando a água à nova caixa, construída no quintal do Zé Teixeira. A partir de então foi estendido todo encanamento ao arraial, cuja inauguração se deu em 29 de agosto de 1992.

A Prefeitura, em maio de 1997, concedeu à COPASA a exploração da água na Vila, que teve o início de sua operação em novembro de 1998, com água tratada e fluoretada, captada do Córrego do Bom Sucesso. Cem por cento da população é atendida pelo serviço. Assim que a COPASA tornou-se concessionária do abastecimento de água, também foi construída a rede de esgotos pela Prefeitura.

A coleta de lixo é feita semanalmente pela Prefeitura Municipal, desde o ano de 1998. Foi um grande benefício para a comunidade, pois assim evita acúmulo do mesmo nos fundos dos quintais e não há necessidade de queimá-lo e nem expô-lo nas ruas, a não ser no dia da coleta.

Em reunião da Câmara Municipal, em 25 de outubro de 1973, o vereador Sebastião Versiani informa aos vereadores através de um comunicado do Prefeito, que o motor gerador de luz localizado em Santana de Patos, agora com luz instalado pela ERMIG¹, foi transferido para Bom Sucesso de Patos. Realmente ele foi instalado no povoado, mas, segundo testemunho de Odete Teixeira, a sua energia serviu mais à Igreja. A energia chegou mesmo em 1976 e foi inaugurada, com muita festa, no dia 28 de março.

O Posto de Saúde foi inaugurado pelos médicos Paulo José de Amorim e Marthius Adélio Gomes, por solicitação do vereador José Joaquim de Araújo, em 19 de julho de 1980, com o nome de João Porto Filho. A administração de 1984 construiu a sede própria, mudando-lhe o nome para José Salvino. Nos anos 1999 o posto recebeu substancial reforma administrativa e estrutural. Passou a funcionar de acordo com o programa da Saúde Pública Municipal. Tem a presença contínua de agente de saúde, auxiliar de enfermagem e de médico para atender à população necessitada.

Antes de construir o cemitério, os mortos eram sepultados no cemitério da localidade conhecida como Bom Sucesso Velho, às margens do Córrego de Santa Rita. Além do cemitério, a seu lado, está a capela de Santa Rita. Pela lei 578, de 03 de agosto de 1960, a Prefeitura foi autorizada o construir o cemitério da Vila. Interessante que, em 05 de dezembro de 1975, é sancionada a lei 968, também autorizando a sua construção. Pelo que parece, era de total desconhecimento da Câmara a autorização anterior. Foi muito lenta a sua construção, pois, em 01 de abril de 1969, nova lei abre crédito especial, cujo valor não foi suficiente e, em 16 de junho, outra lei autoriza crédito suplementar para que o cemitério fique totalmente concluído.

Na década de 1950 foi criada a Conferência de São Vicente de Paulo, com o objetivo de assistir os desvalidos da comunidade. Um dos primeiros atos foi fundar a Vila Vicentina, para amparar os necessitados. Na 5ª sessão de 06 de novembro de 1956, a vereadora Elvira Ferreira Porto apresentou, na Câmara Municipal, projeto de lei “concedendo subvenção anual de Cr$ 10.000,00 à conferência São Vicente de Paulo, em Bom Sucesso, distrito de Chumbo”.

Apesar de ser uma associação de classe, o Conselho de Desenvolvimento Comunitário (CDC) da Vila – fundado em 06 de setembro de 1987, pratica muitos atos assistência social, principalmente aos mais necessitados. A sua sede social, que teve inauguração solene em 25 de agosto de 2007, em amplo salão, ao lado da Igreja do Senhor Bom Jesus, leva o nome de Paulina de Melo Porto – Dona Crioula.

*1: Empresa subsidiária da CEMIG, com personalidade jurídica própria, criada em 1962 e extinta em 1974, era a responsável pela eletrificação rural.

* Fonte e foto: Patos de Minas, Meu Bem Querer, de Oliveira Mello.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

captcha

Please enter the CAPTCHA text