PATOS QUER MELHOR PÃO EM 1941

Postado por e arquivado em HISTÓRIA.

Existe, em Patos, uma repartição estadual destinada a fiscalizar os gêneros alimentícios postos a venda para consumo da população. O ilustre Governador Benedito Valadares no seu discurso aos Prefeitos mineiros salientou esta função dos Chefes de Circunscrição de Saúde Pública, quando relembrou a necessidade de melhor alimentar o povo, especificando competir a esses funcionários orientar os problemas de higiene, prevenindo, ensinando e agindo. Em Patos, há muito que fazer neste campo, e com o intuito de colaborar com o distinto médico chefe da 18ª Circunscrição, de quando em quando, iremos indicando pontos onde a sua ação se faz necessária, e onde esta ação contará com o apoio unânime da população.

Hoje, começaremos pelas padarias. Três, quatro ou cinco estabelecimentos funcionam na cidade com rótulos de padarias mecânicas, montadas a capricho, etc., etc. O que a população conhece, no entanto, são pães de confecção péssima, que cada dia se tornam piores.

Alguém já disse ser Patos a terra onde se come o pior pão do Estado de Minas, embora haja aqui um moinho de trigo que pode vender farinha pura. Não queremos a explicação para o fato e pedimos ao poder competente uma ação fiscalizadora capaz de determinar a causa por que a população está tão mal servida pelos seus padeiros desde a confecção do produto até a entrega do mesmo feita sempre com atraso.

* Fonte: Texto publicado na edição de 17 de agosto de 1941 do jornal Folha de Patos, do arquivo do Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão de História (LEPEH) do Unipam.

* Foto: Granotec.com.

Compartilhe