AMADEU E SUA USINA DE ELETRICIDADE

Postado por e arquivado em DÉCADA DE 1910, FOTOS.

Foi Olegário Dias Maciel quem deu a ideia e reuniu um grupo de acionistas para construir uma usina. Assim, com a denominação de Cia. Força e Luz da Cidade de Patos, foi constituída uma S/A., cujo fim era a exploração de fornecimento de força e luz, por meio de eletricidade ao município de Patos. Coube à General Eletric Company a instalação da usina no Ribeirão da Mata, distante 10 km da cidade, cuja supervisão foi entregue ao engenheiro Carlos Pescher, por empreitada de Bromberg S/A., do Rio de Janeiro¹. No dia 18 de maio de 1914, a Câmara Municipal, por lei n.º 166, concedeu ao cidadão Amadeu Dias Maciel (o maior acionista) ou à empresa por ele organizada, o privilégio por 25 anos, para explorar no município de Patos a eletricidade para produção de força e luz. O fim das lamparinas, candeias e lâmpadas Aladim começou a 14 de agosto de 1915, quando inaugurou-se, com muita festa, a luz elétrica em Patos. A foto, de 1914, registra um dia de trabalho nas obras da usina do Ribeirão da Mata. Amadeu Dias Maciel é o 1.º à esquerda.

0* 1: Leia “Eletricidade: da Lamparina à Cemig – Histórico da Força e Luz”.

* Texto: Eitel Teixeira Dannemann.

* Foto: Arquivo de Newton Ferreira da Silva Maciel.

Compartilhe