1.º CASO DE AIDS E A FALTA DE SANGUE PARA HEMOFÍLICOS

Postado por e arquivado em HISTÓRIA.

AIDS“Existem pessoas contaminadas em Patos de Minas com o vírus HTL-III da AIDS, não são muitos casos não, nem podemos evidentemente divulgar os nomes para preservarmos nossos pacientes”. Esta afirmação é do hematologista Dr. José Cláudio Arpini, ao referir-se à preocupação da classe médica com relação ao surgimento da terrível doença em Patos de Minas.

Salientando que Patos não conta ainda com recursos necessários, principalmente a nível de exames laboratoriais para a confirmação do diagnóstico, sendo portanto necessário encaminhar as suspeitas para Belo Horizonte, Dr. José Cláudio comenta a sua luta para implantar um núcleo de transfusão de sangue, com recursos, possivelmente do Pró-Sangue do Ministério da Saúde.

Neste sentido, o médico encaminhou ofício ao presidente da CIS-Comissão Institucional de Saúde, Dr. Edgardo Campos Melo e ao Ministro da Saúde, expondo a situação caótica em termos de bancos de sangue em Patos de Minas, principalmente quanto aos cuidados como, por exemplo, uma série de exames que devem ser feitos para detectar doenças como: chagas, sífilis, malária, hepatite e agora também a AIDS.

Com relação ao paciente portador do vírus, José Cláudio informou que o diagnóstico foi feito em Patos e confirmado em Belo Horizonte, onde está em tratamento, salientando no entanto que o paciente está contaminado pelo vírus e não com a doença cuja evolução pode demorar de 5 a 15 anos, explica. O Médico está indignado com a falta de estrutura, principalmente com relação às transfusões sanguíneas que são feitas quase que sem controle e sempre faltando sangue, o que ocasionou recentemente a perda de um paciente hemofílico, que morreu por falta de sangue, ao apresentar uma hemorragia tão comum neste tipo de paciente.

Finalizando, o médico alerta as forças políticas e sanitárias da cidade para a importância da implantação em Patos desde centro de hematologia e hemoterapia, já que recursos existem no Ministério da Saúde para tal fim e Patos e região contam, hoje, com um número de pacientes hemofílicos muito grande, necessitando de uma infra-estrutura deste tipo.

* Fonte: Texto publicado na edição de 23 de janeiro de 1988 do jornal Correio de Patos com o título “AIDS: Diagnosticado um Caso em Patos de Minas”, do arquivo do Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão de História (LEPEH) do Unipam.

* Foto: Primedicin.com.

Compartilhe