BOMBEIRO SABIDO, O

Postado por e arquivado em É VERDADE OU MENTIRA?.

AVocê já precisou de um bombeiro em sua casa? E de um eletricista? É uma dificuldade para se conseguir um ou outro. Prometem ir na mesma hora, e no mês seguinte você ainda está esperando.

Por isso é que aconselhamos a todo sujeito que vai se casar a fazer um curso de pequenos “desarranjos domésticos”, tais como consertar torneiras, fechaduras, mudar tomadas, arrumar ferro de passar roupa, e um mundo de outras pequenas coisas. Sòmente depois dêsse curso o sujeito poderá dizer que está mesmo preparado para subir ao altar. É claro que, isso não exime o camarada de se preparar também moralmente para o grande passo. Êsse preparo que aconselhamos é apenas para evitar certos dissabores, ou até mesmo que a sua casa venha a pegar fogo, por causa de um curto circuito, ou que sua caixa d’água fique vazia por causa de uma torneira que não corre água. Pode até parecer exagêro, mas alguma verdade, nem que seja a metade, existe…

Querem saber o que aconteceu a um ilustre cidadão de nossa terra? Claro que a história vai um pouco enfeitada, e não é de todo verdadeira, mas se admite que um pouco dela é realidade…

O Gilberto, um grande profissional em matéria de canos e torneiras, praticamente lidera a profissão em Patos. Todo mundo, quando precisa de serviços concernentes ao ramo, vai logo atraz dele. O difícil é conseguir leva-lo ao local do trabalho Êle enrola, conversa, desconversa, e fica sempre adiando. Quando aparece, logo resolve o assunto.

Da sua versatilidade e capacidade de trabalho, contam uma que merece ir para os anais da cidade.

Durante um mês êle foi chamado pelo mesmo freguez, o Zé Vieira, para consertar o mesmo cano, que sempre vazava. Não adiantava dizer que era preciso trocar o cano, pois o sujeito não concordava. O Gilberto cansado do mesmo serviço, “deu um jeito”, e passou a ser chamado apenas de três em três meses. Acontece que um dia Zé Vieira ficou cançado de esperar, e resolveu êle mesmo fazer o conserto. Subiu ao telhado e qual não foi seu espanto, ao descobrir qual era o “serviço” do Gilberto… O conhecido bombeiro, havia colocado uma lata de vinte litros debaixo do vazamento, e quando era chamado, para novo conserto de 30 em 30 dias, esvaziava a lata e dava o fora…

* Fonte: Texto publicado com o título “O Bombeiro… Sabido…” na edição de 24 de maio de 1969 do Jornal dos Municípios, do arquivo do Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão de História (LEPEH) do Unipam.

* Foto: Emersonpereira.com.

Compartilhe