CASA DE VIRGÍLIO CAIXETA DE QUEIROZ: CONTRAMÃO HISTÓRICA

Postado por e arquivado em 2014, DÉCADA DE 2010, FOTOS.

“Uma página apagada de nossa história”. É assim que Maria Beatriz Kother, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), define a importância da preservação do patrimônio histórico. “Perdemos muito cada vez que nosso patrimônio é demolido, descaracterizado ou mutilado. É como se apagassem uma página de nossa história. São danos irreversíveis”, afirma. Ações da sociedade civil têm conseguido ao menos alertar sobre o significado do patrimônio histórico que, além de um valor material e estético, conserva em si elementos da história do lugar e de sua população. Por isso a casa de Virgílio Caixeta de Queiroz está na contramão histórica, isto é, ao invés da “destruição”, a “manutenção”, como atestam as obras no velho casarão que tem muita história para contar. Que o “ardor” da família do Virgílio se espalhe pela cidade.

0* Texto e Foto (31/07/2014): Eitel Teixeira Dannemann.

Compartilhe